O sistema paredes de concreto no desenvolvimento do Programa Minha Casa Minha Vida

Pin It

O sistema de paredes de concreto teve seu início a partir do final da 2ª Guerra Mundial, quando a Europa foi arrasada por esse momento histórico. Nesse período, não diferente da realidade habitacional brasileira, se fez necessária a construção, em ritmo muito acelerado, de habitações para atenderem aos grandes problemas decorrentes da 2ª Grande Guerra.

O Brasil apresenta um grande déficit habitacional, principalmente concentrado nas classes “C”, “D” e “E”, onde a velocidade das obras e a qualidade das mesmas é fator fundamental para atendimento aos requisitos impostos pelo Governo Federal, agente regulador e financiador dos programas habitacionais.

Com a implantação do PMCMV, Programa Minha Casa Minha Vida, três entidades representativas do segmento da indústria da construção civil, a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), a Associação Brasileira das Empresas de Serviço de Concretagem (ABESC) e o Instituto Brasileiro de Tela Soldada (IBTS), junto com algumas construtoras, passaram a estudar e conhecer outras realidades no continente americano, com particularidades com o Brasil, para saber quais os sistemas construtivos mais utilizados, onde o sistema de paredes de concreto, por sua competitividade, cadeia preparada e visão sistêmica; a gestão e a logística eram fatores fundamentais no sucesso da empreitada, era uma realidade expressiva em países como a Colômbia, México e Chile, com realidades habitacionais e demandas semelhantes à brasileira.

Não obstante ao trabalho proposto, haviam algumas etapas a serem trilhadas no Brasil, de modo a não perder as grandes vantagens do referido sistema, ou seja, a integração da cadeia: construtoras, projetistas e fornecedores, desenvolvendo estudos de viabilidade para saber o número ideal de unidades a serem construídas por canteiros de obras, além da construção de obras piloto e desenvolver e apresentar os laudos para os estudos do DATec, Documentos de Avaliação Técnica, de modo a atender às normativas do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H), e da Caixa Econômica Federal, principal agente financeiro do PMCMV. Com o início da vigência da Norma de Desempenho − ABNT NBR 15575:2013 −, os projetos também passaram a ter que atender as exigências da referida Norma, no que tange ao desempenho térmico e acústico, segurança estrutural e durabilidade, segurança contra o fogo, estanqueidade, dentro outros.

Hoje a realidade do sistema de paredes de concreto responde por 52% das unidades em construção e em projeto do PMCMV, o que demonstra sua competitividade e atendimento às Normas vigentes no Brasil.

Outra conquista importante obtida pelo Grupo de Trabalho de Paredes de Concreto, com a liderança da ABCP, ABESC e do IBTS foi a edição da Norma ABNT NBR 16055:2012, em tempo recorde, onde o sistema deixou da categoria inovador, para sistema tradicional, com Norma brasileira para sua regulamentação técnica, fato que permitiu a inserção de construtoras médias, a diversificação regional e a viabilidade do sistema em empreendimentos menores.

WALDIR BELISÁRIO DOS SANTOS JÚNIOR,
engenheiro civil pela Universidade de Brasília (UnB),
mestre em Estruturas e Construção Civil pela UnB e
representante DF/GO da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP)

Pin It

Cadastre seu e-mail

Saiba das novidades em primeira mão.
Cadastre-se em nosso portal.