Empresas investem no desenvolvimento de Sistemas de Proteção

Pin It

O Sinduscon-GO promoveu em 18 de novembro último a premiação das empresas campeãs do “Construir Mais – 1º Prêmio Sinduscon-GO de Boas Práticas”. Na ocasião, conforme divulgado na edição anterior da Revista Construir Mais, foi premiado o trabalho vencedor em cada uma das quatro categorias: Saúde e Segurança no Trabalho, Meio Ambiente, Inovação e Responsabilidade Social. Contudo, em virtude da qualidade e da importância dos demais trabalhos, a Construir Mais apresenta nesta edição um breve panorama dos classificados como finalistas. Acompanhe a seguir informações sobre os dois trabalhos finalistas na categoria Saúde e Segurança no Trabalho, apresentados pela EBM Desenvolvimento Imobiliário e Construtora Queiroz Silveira, que tiveram destaque nessa edição do Prêmio juntamente com a boa prática campeã, apresentada pela Vega Construtora e Incorporações, com o tema “Índice de Segurança no Trabalho”.

Sistema Limitador para Quedas de Alturas Complementar

saude seg01A EBM produziu e implantou o Sistema Limitador para Quedas de Alturas Complementar (SLQA), que se baseia na utilização de peças metálicas projetadas, exclusivamente, para fixação de telas no intervalo entre lajes (as três últimas lajes e a laje onde se instala a bandeja de proteção), no período de estruturas do processo construtivo. A prática da EBM permite o enclausuramento de todo o perímetro da obra, mantendo um ambiente mais seguro tanto para os colaboradores quanto para a comunidade, visando impedir que objetos ou até mesmo pessoas tenham queda livre até o solo.

O SLQA Complementar utiliza rede de poliamida, malha 5x5 cm, fio de 2,5 mm, aditivada contra raios ultravioleta, 10,5 m de largura, resistência à tração de 400 kgf. Os suportes projetados são metálicos, utilizam tubo quadrado de 55x55 mm x parede 2,65 mm, ancorado na laje na parte inferior e superior por meio de ganchos metálicos.

Nos meses de maio e junho de 2016 o SLQA Complementar foi instalado no Open House LifeStyle da EBM, localizado na Rua 135, no Setor Marista. O empreendimento tem uma torre com 33 pavimentos. A replicabilidade dessa prática é 100% exequível, inclusive se analisado o custo-benefício. Para um empreendimento do porte do Open House LifeStyle foi investido no SLQA Complementar um valor de R$ 20.665,00, sendo que o sistema poderá ser reutilizado em outras obras, com adaptações mínimas e corrigindo de forma definitiva uma falha, que pode causar graves acidentes, e ainda não percebida pela legislação.

Projeto de proteção prático

saude seg02A boa prática realizada pela Queiroz Silveira consiste na elaboração de sistema de guarda ou proteção coletiva que é utilizado em áreas de periferia, lajes técnicas e poços de elevadores, durante as fases da construção: estrutura e acabamento. Foi concebido com o fim intrínseco de eliminar o número de acidentes fatais causados por queda de pessoas ou de materiais; embargos, multas ou interdição de obras; custos com mão de obra e desperdícios de material. Sua estrutura é de fácil confecção e aplicação e, por se tratar de um sistema simplificado, dispensa mão de obra especializada na montagem e manutenção. O  dispositivo contra queda de pessoas e materiais é composto de montante metálico de Metalon, grade metálica e ancoragem de aço em forma de “U” chumbado durante a concretagem das lajes.

O dispositivo é instalado de acordo com as etapas da estrutura. Durante a confecção da forma na 1ª laje o “U” é fixado e amarrado na armação da viga antes da concretagem. Todas as medidas referentes ao “U” seguem projeto. Após concretagem e remoção da fôrma é instalado o montante ou poste, estrutura que através de travas e suportes recebe a tela metálica. A tela é fixada em dois postes ou montantes a cada 1,85 m vedando toda a periferia da edificação. Toda a estrutura é interligada preenchendo todo o espaço necessário atendendo medidas e dimensões exigidas pelas NR’s e NBR’s correspondentes.

O sistema é eficiente por atender às diversas fases da obra sem comprometer ou expor a vida de pessoas ao risco em função ou necessidade do serviço, como acontece em outros modelos convencionais; é dinâmico por acompanhar a velocidade da obra devido à facilidade de instalação; é pratico, pois elimina desperdício e acúmulo de materiais e a vida útil do produto é longa podendo ser reaproveitado em outras obras.

Pin It

Cadastre seu e-mail

Saiba das novidades em primeira mão.
Cadastre-se em nosso portal.